Não à compra de sexo!

imagemO projeto Sexualidade com segurança em igualdade: não à compra de sexo! visa a prevenção mediante a promoção nas escolas e na sociedade em geral de uma Educação Integrada no que respeita à sexualidade e às relações sexuais, dirigida a adolescentes.

Objetivos:

  • Contribuir para o empoderamento de todas as mulheres e raparigas para a sua sexualidade e autodeterminação sexual;
  • Disponibilizar apoio informativo específico, de modo apropriado a contrariar os papéis de género socialmente construídos que impedem a concretização da igualdade substantiva entre mulheres e homens;
  • Contribuir para a descentralização das relações sexuais na sexualidade masculina e para o questionamento do desejo masculino enquanto um direito sexual, nomeadamente mediante:

– a desconstrução dos mitos patriarcais que promovem a prostituição como trabalho e como atividade económica para mulheres;
– o combate aos estereótipos de género, designadamente ao que entende como dever de género das mulheres a disponibilidade permanente ao serviço dos homens, incluindo para a realização de atos sexuais remunerados ou não, e como direito de género dos homens a dominação das mulheres, remunerada ou não, designadamente pela sua posse física, quer elas queiram quer não;

• Conscientizar para os danos do comércio sexual tanto para mulheres como para homens aos níveis pessoal, familiar e das comunidades, em termos psicológicos, sexuais e físicos.

Atividades:

  • Participação no grupo de trabalho do Lobby Europeu das Mulheres sobre Perspetiva feminista relativa aos Direitos e Saúde Sexual e Reprodutiva e disseminação das ações a nível nacional;
  • Elaboração de material informativo sobre sexualidade segura para as raparigas e mulheres;
  • Sessões informativas dirigidas a jovens do ensino secundário e superior;
  • Sessões informativas dirigidas a docentes;
  • Lançamento de uma pequena campanha consubstanciada na distribuição de preservativos com o slogan “Eu não compro sexo” junto dos jovens rapazes que forem objeto de ações de sensibilização. A campanha procura que estes adolescentes assumam uma posição contra a prostituição e contra os mitos a ela associados, e distribuição de preservativos femininos junto das raparigas.

logocigtopo

Projeto financiado pela Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género ao abrigo do  Artigo 9º do Decreto-Lei nº246 / 98 de 11 de Agosto, e com a parceria da Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres.